O 12º Congresso da FENPROF-Federação Nacional dos Professores decorreu no Porto, nos dias 29 e 30 de Abril último, em instalações do Seminário de Vilar, próximo do Palácio de Cristal, num espaço privilegiado debruçado sobre o rio Douro. Na tarde do dia 28, véspera do primeiro dia do Congresso, teve lugar uma Conferência Sindical Internacional muito participada, em que intervieram cerca de duas dezenas de representantes de organizações congéneres de quatro continentes. No dia 30, à tarde, decorreu uma sessão temática em que o objecto da discussão foi “Ensino Superior e Investigação” A Federação Mundial dos Trabalhadores Científicos (FMTC) fez-se representar no Congresso pelo seu Presidente, Jean-Paul Lainé. A OTC, filiada, como a FENPROF, na Federação Mundial, foi convidada e fez-se representar por Frederico Carvalho, Presidente da Direcção. Frederico de Carvalho pôde intervir na sessão temática e foi entrevistado, no mesmo dia, sobre a situação geral que se vive no Sistema Científico e Técnico nacional, referindo aqueles que são, em seu entender, as principais dificuldades e os estrangulamentos mais sérios que condicionam a actividade científica e as condições de vida e trabalho daquelas e daqueles que escolheram fazer da Ciência a sua profissão. (ver vídeo da entrevista em baixo)

Como nota relevante, importa salientar a seriedade dos debates, o entusiamo e a força que irradiou dos trabalhos do Congresso. As questões do Ensino Superior e da Investigação, dos docentes―investigadores, se se quiser, estiveram presentes, sem dúvida, mas importará aprofundar a abordagem das suas problemáticas específicas. Ainda que muito minoritários no universo sindical e profissional abrangido, a importância social desta componente humana qualificada, no caminho para um futuro de desenvolvimento e soberania nacional, justificam esse aprofundamento. Por fim, é com gosto que dirigimos uma saudação ao Colega João Cunha Serra, vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral da OTC, reeleito no Congresso para o cargo de Presidente do Conselho Nacional da FENPROF.

ENTREVISTA DO PRESIDENTE DA DIRECÇÃO

 

Vídeo FENPROF
(courtesy FENPROF) 

 

Almaraz: uma central nuclear em fim de vida?

Recebemos do Chefe de Gabinete do Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia da República, cópia da Pergunta formulada ao Governo, através do Ministério do Ambiente sobre as “Diligências do Governo relativas à Central Nuclear de Almaraz e à prevenção de acidentes nucleares transfronteiriços”, com a informação de que será oportunamente dado conhecimento da resposta governamental às questões colocadas,logo que seja obtida. O documento que recebemos pode ser visto aqui.

 

A Contribution of OTC to the Revision of the UNESCO 1974 “Recommendation on the Status of Scientific Researchers”

The United Nations Educational, Scientific and Cultural Organisation (UNESCO) considers revising her “Recommendation on the Status of Scientific Researchers” adopted in 1974 at the UNESCO General Conference. In view of this, the Director-General has requested contributions from worldwide organizations. This request has been channelled by the World Federation of Scientific Workers to her affiliated organisations.

Responding to the request, the Board of Directors of OTC has prepared a paper to be sent to the President of the World Federation expressing the position of the association on a number of aspects that we believe should be taken into consideration in a new revised version of the said Recommendation on the Status of Scientific Researchers.

 

Criação do IPMA e desmantelamento do Serviço Público de Meteorologia

Recebemos do Chefe de Gabinete do Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia da República cópia de Pergunta formulada ao Governo, através do Ministério do Mar, sobre a Criação do IPMA e desmantelamento do Serviço Público de Meteorologia, com a informação de que será oportunamente dado conhecimento da resposta governamental às questões colocadas,logo que seja obtida. O documento que recebemos pode ser visto aqui.

A RESPOSTA GOVERNAMENTAL

Chega-nos, pela mesma via, o texto da resposta do Ministério do Mar à pergunta acima referida. A resposta pode ser vista aqui.

Integração de Bolseiros de investigação científica na Carreira de Investigação Científica

Recebemos do Chefe de Gabinete do Grupo Parlamentar do PCP, notícia da apresentação por esse Grupo Parlamentar de uma Proposta de Alteração ao Orçamento do Estado para 2016, defendendo a integração gradual na Carreira de Investigação Científica dos bolseiros de investigação científica que supram necessidades permanentes do Sistema Científico e Técnico Nacional (SCTN). A proposta de alteração foi apresentada no decurso da discussão na especialidade da Lei do Orçamento de Estado para 2016 e não teve acolhimento, pelo que não consta do texto da Lei aprovada.

Reproduz-se abaixo a Nota Justificativa da alteração proposta.

Nota justificativa:

“Uma grande parte das necessidades permanentes do Sistema Científico e Tecnológico Nacional é suprida com recurso ao “bolseiro de investigação” representando objectivamente uma forma de desvalorização do trabalho científico. O PCP defende que a generalização do recrutamento de mão-de-obra para suprir as necessidades do SCTN passa pela abertura da contratação para as carreiras de técnico, investigador, docente ou técnico superior, e que esta transição possa ser feita de forma gradual.

Assim, com esta proposta, o PCP defende a integração gradual dos bolseiros de investigação científica que supram necessidades permanentes do SCTN na carreira de investigação científica, tendo em conta o número de bolsas de investigação e respectivas renovações tal como a sucessividade das mesmas.”

A Proposta de Alteração pode ser vista aqui.

MESA-REDONDA  “ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS”

 

 

No passado dia 30 de Março teve lugar a Mesa Redonda sobre o tema "Alterações climáticas: Que desafios para a comunidade científica em Portugal?", organizada pela Organização dos Trabalhadores Científicos (OTC), que contou com a presença dos especialistas da comunidade científica nacional,  Pedro Viterbo,  Director do Departamento de Meteorologia e Geofísica do IPMA; Carla Silva, Profª da FCUL e Manuel Collares Pereira, titular da Cátedra das Energias Renováveis da Universidade de Évora.

A Mesa Redonda contou com três intervenções, que abrangeram essencialmente três vertentes desta problemática, potencialmente desafiantes para a comunidade científica em Portugal, intituladas: "Alterações climáticas: O ano de 2015 e a consciência do mundo", pelo Doutor Pedro Viterbo, "Pegada carbónica nos transportes", pela Profª Carla Silva e "As energias renováveis: vem aí uma revolução? A cátedra das energias renováveis da Universidade de Évora", pelo Investigador Prof. Manuel Collares Pereira.

Após as intervenções de grande interesse científico, seguiu-se o debate muito participativo e vivo com a plateia que interpelou os oradores com questões pertinentes e de grande actualidade.

A Mesa-Redonda teve lugar no Auditório Adérito Sedas Nunes, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, gentilmente cedido pelo seu Presidente Prof. José Luís Cardoso.

 

Subcategorías