FMTC – Évora 2023

FEDERAÇÃO MUNDIAL DOS TRABALHADORES CIENTÍFICOS
94º CONSELHO EXECUTIVO
ÉVORA 2023

A convite das três organizações portuguesas filiadas na Federação Mundial — ABIC, FENPROF e OTC — decorreu em Évora, de 2 a 7 de Julho corrente, a 94ª Reunião do Conselho Executivo da Federação Mundial dos Trabalhadores Científicos (FMTC).
O Conselho Executivo é o órgão dirigente da Federação entre Assembleias Gerais que têm, estas, lugar de 4 em 4 anos. Mais de meia centena de participantes de quatro continentes e uma dezena de nacionalidades participaram nos trabalhos do Conselho Executivo e assistiram ou intervieram no Simpósio integrado no programa. A Federação, nascida em 1946, mantém-se fiel às suas origens constituindo um fórum de debate onde trabalhadores científicos, independentemente da sua origem ou convicções pessoais, livremente exprimem a sua visão dos grandes e pequenos problemas que condicionam o exercício da sua actividade, nas condições particulares do seu país de origem ou da instituição em que trabalham; exprimem a sua visão dos caminhos que a ciência e as tecnologias vão percorrendo, as tendências actuais e o futuro, tendo em conta o impacto que as últimas necessariamente têm sobre a sociedade. A Federação e estes encontros são assim um instrumento que visa o aprofundamento e alargamento das relações de cooperação entre trabalhadores científicos tomados individualmente, mas, sobretudo, entre associações que os representam.
Os trabalhos do encontro que incluiu, como é habitual, um simpósio aberto ao público, decorreram em instalações do Colégio Universitário “Luis António Verney” da Universidade de Évora, credora do reconhecimento dos organizadores.[1]
O SIMPÓSIO
O tema escolhido para o Simpósio, que claramente traduz a natureza das preocupações e a orientação da FMTC, foi o seguinte: “A cooperação científica como motor de Paz e de desenvolvimento sustentável”. O breve resumo inserido no anúncio do simpósio, previamente difundido, esclarece nos seguintes termos o que se tinha em mente:

Ciência e Tecnologia são instrumentos cruciais para alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Tal depende em grande parte de encontrar as respostas correctas para perguntas como: estatuto social, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores científicos, incluindo estabilidade no emprego; participação na tomada de decisões e contribuição para a democracia; montantes e mecanismos de financiamento; liberdade e autonomia académicas; entre outros. E, claro, a capacidade para interagir e cooperar com colegas cientistas de todo o mundo — um aspecto seriamente afectado pela instabilidade geopolítica”.

A abertura do Simpósio coube ao Prof. Doutor António Sampaio da Nóvoa, Professor Catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, Reitor Emérito desta Universidade e membro do Conselho de Estado. A intervenção que então proferiu constituiu um ponto alto do encontro como sublinhado por muitos dos presentes e pode ser lida aqui.[2]

Pode ver-se no Programa que o Simpósio se desdobrou em duas Mesas-Redondas. A primeira tratou o tema “Cooperação científica e Paz num ambiente geopolítico instável”.
A segunda debruçou-se sobre o “Impacto das condições de trabalho dos investigadores no caminho para o desenvolvimento sustentável”.

Na primeira Mesa-Redonda, coordenada pelo colega Mehdi Lahlou, da Universidade de Rabat, Marrocos, intervieram como oradores: Dina Bacalexi (CNRS, França); Frederico Carvalho (Univ. de Lisboa e OTC); Luís Moniz Pereira (Univ. Nova de Lisboa e OTC) e, à distância, Elena Kharatinova (Instituto de Estudos Africanos, Academia das Ciências da Rússia). O texto da intervenção de Frederico Carvalho na Mesa-Redonda pode ser visto aqui: Degrowth for survival.
Na segunda Mesa-Redonda, coordenada pelo colega André Carmo (Univ. de Évora e FENPROF) intervieram como oradores: Marcelo Magnasco (Univ. Nacional del Arte, Argentina), Sergi Maicas (Univ. de Valencia, Espanha), Florence Mouchet (Univ. de Toulouse, França), Carolina Rocha (Univ. de Coimbra e ABIC), Rui Salgado (Univ. de Évora e OTC), e também, à distância, Salma Sylla (Univ. Cheikh Anta Diop, Senegal) e Vyacheslav Vdovin (Instituto de Física Aplicada, Academia das Ciências da Rússia).

A cada uma das Mesas-Redondas seguiu-se debate com a assistência.


OS GRUPOS DE TRABALHO

Não cabe aqui a descrição pormenorizada dos conteúdos e resultados das várias sessões — em número de quatro — em que se desdobraram os trabalhos do 94º Conselho Executivo no decurso dos três dias a eles dedicados.[3]
Importa, entretanto, fazer uma referência especial aos Grupos de Trabalho temáticos que constam do organigrama da Federação. Os Grupos abordam questões de grande actualidade, mais abrangentes ou mais especializadas: “Paz, Desarmamento e Cooperação” (Grupo 1); “Desenvolvimento Sustentável”, onde se englobam as problemáticas das alterações climáticas, da energia, da água, dos oceanos (Grupo 2); “Condições de Trabalho e Estatuto dos Trabalhadores Científicos” (Grupo 3); “Financiamento da Investigação em África” (Grupo 4); “As Mulheres na Ciência” (Grupo 5). Recentemente veio juntar-se a estes um grupo não permanente que se ocupa do Regulamento Interno da Federação Mundial (Grupo 6). Existe por fim um grupo ou sector especializado para a Comunicação e as Redes Sociais (Grupo 7).Os grupos organizam-se livremente, definem os seus projectos de trabalho, e estão abertos à participação de associados em qualquer das organizações filiadas na Federação Mundial. A OTC está representada nos Grupo 1, 3 e 7. Neste último — Sector Comunicação e Redes Sociais — destaca-se o importante trabalho desenvolvido ao longo do ano, pela colega Joana Santos, da Direcção da OTC que foi convidada pela FMTC a integrar o Sector.
O Grupo 1- “Paz, Desarmamento e Cooperação” é coordenado por Frederico Carvalho; o Grupo 3 – “Condições de Trabalho e Estatuto dos Trabalhadores Científicos” é coordenado por André Carmo (FENPROF). As contribuições escritas apresentadas por Frederico Carvalho no Grupo 1 e por André Carmo no Grupo 3 podem ser lidas aqui e aqui, respectivamente.

A reunião do Conselho Executivo da FMTC tal como o Simpósio que nele se integrou, e, bem assim, os momentos de convívio que o encontro proporcionou, corresponderam às nossas melhores expectativas. Mostram-no as palavras de reconhecimento que nos foram dirigidas pelos membros dos órgãos dirigentes da Federação e por bom número dos que estiveram presentes em Évora naquela semana de Julho, nacionais de várias origens incluindo colegas portugueses.
Importa referir que o sucesso do encontro de Évora se deveu em primeira linha ao notável trabalho desenvolvido pela Comissão Organizadora nacional integrada por membros das três associações nacionais filiadas na Federação Mundial já referidas, ABIC, FENPROF e OTC, e deveu-se também aos apoios de vária ordem recebidos designadamente da Universidade e do Município de Évora aos quais manifestamos o nosso sincero agradecimento. No que diz respeito à OTC, o empenhamento e o trabalho desenvolvido localmente pela colega Maria Elmina Lopes, membro da Direcção, no sentido de assegurar o sucesso da empreitada que tomámos em mãos, foram determinantes. Foi um trabalho de equipa em que o papel dos colegas sediados em Lisboa, em particular a colega Joana Santos, membro da Direcção, deve ser destacado. O acolhimento no Aeroporto de Lisboa, no dia 2 de Julho, dos participantes estrangeiros, foi assegurado pelos colegas António Ferreira, da ABIC e João Cruz, da FENPROF.

A parte técnica respeitante à interpretação simultânea, feita à distância, em inglês e francês, línguas oficiais da Federação Mundial, foi assegurada por tradutores habitualmente contratados pela FMTC que se encontravam em Paris. O equipamento de tradução e apoio técnico local foram assegurados mediante contrato com uma empresa local. A dedicada colaboração dos serviços de informática da Universidade foi essencial em todo este processo e por isso se lhes deve um agradecimento especial.

A presença da OTC na abertura do encontro e as contribuições dadas no decurso das várias sessões de trabalho do Conselho Executivo e também no Simpósio, mostram que a associação tem hoje uma posição importante no seio da FMTC. Assim, Maria Elmina Lopes (OTC-Direcção) foi chamada a presidir à cerimónia de abertura do encontro cuja Mesa foi composta por Clara Grácio, Directora da Escola de Ciências e Tecnologia da Univ. de Évora, nossa associada e ex-membro da Direcção, que esteve em representação da Reitora da Universidade de Évora, ausente no estrangeiro, ao lado de Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, e, ainda, dos co-Presidentes da Federação Mundial, Jean-Paul Lainé (França) e Elies Molins (Espanha).
Frederico Carvalho (OTC-Presidente da Direcção) presidiu à primeira sessão de trabalho do Conselho Executivo, ao lado de Cheikhou Sylla (Senegal) que secretariou.
O ponto alto desta primeira sessão foi o Relatório da Presidência, apresentado pelo Prof. Jean-Paul Lainé que pode ser lido aqui: Exposé introductif au Conseil Exécutif d’Evora (FR).
A colega Clara Grácio presidiu também à mesa da sessão de abertura do Simpósio, secretariada por Jamal Sebbani, Secretário Geral da FMTC (Marrocos) e na companhia, também, do colega André Jaeglé, membro histórico e hoje Presidente Emérito da Federação Mundial.
Nas Mesas-Redondas intervieram como oradores, como já referido, Luís Moniz Pereira, Professor Catedrático Emérito da Universidade Nova de Lisboa, membro dos órgãos Sociais da OTC, Frederico Carvalho e Rui Salgado, Professor Associado com Agregação e Director do Instituto de Investigação e Formação Avançada da Universidade de Évora, nosso associado.

Eventos sociais
Como é habitual em situações semelhantes a Organização procura dar aos participantes oportunidades de confraternização informal que naturalmente ajuda a reencontrar num ambiente descontraído e a melhor conhecer amigos antigos e também a criar novas amizades. Em Évora o ponto alto desta confraternização foi o jantar de encerramento do Simpósio proporcionado aos participantes pelo Grupo Coral Cantares de Évora. Um coral misto com mais de quatro décadas de existência, que além de cantar o Alentejo, se dedica também à valorização e divulgação da gastronomia tradicional alentejana, na sua sede situada nos antigos celeiros da EPAC, no núcleo histórico da cidade de Évora.
A encerrar o jantar e após a actuação do Grupo Coral teve lugar uma breve homenagem ao colega e amigo João Cunha Serra, o professor e o sindicalista de excepcional mérito. A sua acção como activista e dirigente sindical ligada ao Sindicato dos Professores da Grande Lisboa e à FENPROF, marcou e marca as gerações mais novas empenhadas na defesa da Universidade Pública e das condições de vida e trabalho dos trabalhadores científicos. A sua ligação, a ligação da FENPROF, à Federação Mundial com mais de 20 anos justifica a homenagem que a actual Presidência da FMTC entendeu prestar-lhe. A OTC associou-se à homenagem recordando os anos distantes, mas muito presentes que se seguiram à Revolução de Abril, lembrando que João Cunha Serra se inscreveu na OTC em 26 de Janeiro de 1975, então empenhada na luta pela criação de um Estatuto de Carreira de Investigação Científica. João Cunha Serra nunca se afastou da OTC e é hoje vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Por fim na manhã de sexta-feira 7 de Julho, por iniciativa da Comissão Organizadora nacional do evento de Évora, teve lugar a visita a uma infra estrutura de investigação da Universidade de Évora —  o Laboratório HERCULES – Herança Cultural, Estudos e Salvaguarda — que se dedica ao estudo e valorização do património cultural, com especial enfase na integração de metodologias das ciências físicas e dos materiais em abordagens interdisciplinares. A manhã terminou com uma visita à estrutura edificada original da Universidade, o seu coração histórico, datado do século 16.

No que nos toca directamente, cremos poder afirmar que a reunião de Évora e tudo o que envolveu, foi marcante para quem nela pode participar e de algum modo contribuiu para o acentuar da presença da OTC no espaço público, em particular, no meio académico.

Texto: Frederico Carvalho
Revisão: Joana Santos
Fotos: Joana santos e Frederico carvalho

_________________________________________________________
[1] O Programa do Simpósio pode ser visto aqui: Program Symposium 94thEC Evora 2023 (EN):
[2] O texto integral em inglês, da intervenção de Sampaio da Nóvoa pode ser lido aqui: António S Nóvoa Évora 5 Julho 2023 (EN)
[3] Pode ver-se aqui o Programa Geral do Encontro: Program 94thEC Évora 2023 (EN)